Transações imobiliárias representam altos custos que vão muito além do valor do imóvel em si. Isso porque, no Brasil, existem uma série de leis para regulamentar um processo de venda de imóveis. Elas envolvem desde contratos de compra e venda de inventário até escritura e taxa de registro do imóvel. Isso porque, quando uma pessoa compra um imóvel contando apenas com o contrato de compra e venda, ela tem a posse da residência, mas não é proprietária.

Desse modo, para ser considerado dono de um imóvel é preciso que o bem esteja registrado em cartório. Esse processo, como muitos outros, envolve o pagamento de um valor, conhecido como taxa de registro de imóvel. Por isso, é muito importante que na hora de adquirir uma propriedade, o comprador leve em consideração os custos que vão além do valor da casa. Em São Paulo, por exemplo, a compra de um imóvel de R$700.000,00 pode significar custos indiretos de até R$19.000,00, ou 2,77% do valor da propriedade.

Dentre todos os custos, a taxa de registro de imóvel pode ser o que gera mais dúvidas para os compradores. Assim, confira o que é esse valor, como ele é calculado e como realizar o seu pagamento.

O que é a taxa de registro de imóvel

Ao comprar um imóvel, além do contrato de compra e venda, é preciso providenciar a escritura e o registro do imóvel. Para esse segundo, é preciso que após lavrada a escritura, ela seja registrada em um cartório. Desse modo, sua escritura passará a ter valor jurídica e te assegurará como proprietário da residência. Contudo, esse processo envolve o pagamento da chamada taxa de registro de imóvel.

Esse valor é tabelado e cada estado possui uma forma de cobrança diferente. Para acessar as tabelas, basta acessar o site do Instituto de Registro Imobiliário do Brasil (IRIB).

Como calcular taxa de registro de imóvel

Calcular a taxa de registro de imóvel é uma tarefa relativamente simples. Esse valor é tabelado e pode ser consultado no site do IRIB. Contudo, um ponto importante a se ressaltar é que a cobrança varia de estado para estado e também de acordo com o valor do imóvel.

Além disso, é importante lembrar que esses valores são cobrados com base no valor venal do imóvel. Isso significa que não necessariamente a taxa de registro será proporcional ao valor que será pago pela propriedade. Isso porque, o valor venal é o preço estimado pelo governo, calculado com base nos dados da Certidão de Dados Cadastrais do Imóvel.

Como fazer o registro de imóvel?

O registro de imóvel só pode ser realizado após o pagamento do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). Trata-se de um imposto municipal pago na aquisição do imóvel. Depois disso, é preciso obter a escritura e dirigir-se a um Cartório de Imóveis, pagar a taxa de registro de imóveis e autenticar o documento. Além disso, alguns documentos precisam ser apresentados nesse processo.

Documentos do vendedor:

  • Cópias do RG e CPF;
  • Certidão de casamento (caso exista)
  • Comprovante de endereço e profissão
  •  Certidões negativas da justiça trabalhista e da Receita Federal

Documentos do comprador:

  • Cópias autenticadas de RG e CPF;
  • Certidão de casamento (caso exista);
  • Comprovante de endereço e profissão.

A diferença entre escritura e registro de imóvel

Ainda existem muitas dúvidas quanto a diferença entre a escritura e o registro de imóvel. Contudo, estamos falando de documentos bem diferentes. Em primeiro lugar a escritura tem a função de negociação. Nela constam todas as informações relevantes como qual imóvel faz parte da transação, quem são as partes envolvidas, o preço da propriedade, a forma de pagamento, a data de entrega das chaves entre outros tópicos.

Assim, a escritura possui o registro de todos os detalhes acordados entre vendedor e comprador. Assim, ela cria um título hábil para que o cartório de registro de imóveis formalize as obrigações da negociação.

Em contrapartida, o registro do imóvel é o documento que contém o histórico da propriedade. Isso é obtido por meio da matrícula da propriedade. Além disso, ele transfere de maneira efetiva as responsabilidades do comprador, tornando-o perante a lei o responsável pela casa ou apartamento. Por isso é tão importante que antes do pagamento da taxa de registro de imóvel o comprador se certifique que não existem débitos para o imóvel, como taxas condominiais por exemplo, pois após a transferência do bem ele será o responsável por sua quitação.

A taxa de registro de imóvel para quem compra o primeiro imóvel

O sonho da casa própria é o sonho de muitas pessoas e os valores que extrapolam o preço do imóvel em si pode assustar aqueles que buscam pelo primeiro imóvel. Contudo, a boa notícia é que para aqueles que estão adquirindo seu primeiro imóvel pode conseguir alguns descontos nas taxas.

Garantidos pela Lei nº 6.941/81 determina que o comprador tem direito a obter 50% dos custos relacionados à regularização no cartório. Contudo, existem exigências para que esse desconto seja obtido, como a compra ser concluída pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH).

Assim, para obter redução no valor na taxa de registro e escritura é preciso declarar que você está adquirindo seu primeiro imóvel por meio do SFH. Na maioria das vezes, isso pode ser obtido através de um atestado fornecido pelo banco. Assim, basta apresentá-lo em cartório e os descontos do primeiro imóvel são concedidos na hora. Alguns estados do país exigem outros documentos comprobatórios e é importante verificar isso com a instituição financeira. Vale ressaltar que essa documentação deve ser providenciada antes do pagamento de qualquer taxa.

Custos que vão além do valor do imóvel

Adquirir um imóvel requer muito investimento por parte do comprador. Assim, é sempre importante lembrar dos custos desse empreendimento que vão além do valor imóvel. Desse modo é sempre importante contar com esses valores na hora de escolher seu imóvel e não utilizar todas as suas reservas no valor da propriedade.

Além disso, lembre-se de que além da taxa de registro de imóvel também é preciso gastar com reconhecimento de firma, emissão de certidão do imóvel além da própria mudança e novos móveis se for o caso. Outro ponto importante é que caso você opte por um financiamento pela Caixa, é exigido o depósito de 5% do valor da documentação. Tendo isso em mente, procure por imóveis cujo valor a entrada não corresponda a todas as suas economias. Para isso, você pode utilizar o portal da Casa Mineira Imóveis e com nossos filtros definir o valor e características do que você procura.

A Casa Mineira Imóveis possui anos de experiência no mercado de Belo Horizonte e seu blog possui dicas sobre o mercado imobiliário sempre atualizadas e confiáveis. Confira!